A interpretação dos campos áuricos

Voltar
A interpretação dos campos áuricos

Tentativa de mostrar em posição frontal e aérea a interpenetração dos vários corpos ou campos dimensionais, demonstrando que a aura não inicia na superfície corporal como muitos entendem e descrevem, mas representa uma malha ou campo morfogênico multidimensional onde o corpo físico forma-se e desenvolve-se. Além do corpo físico, vemos nas figuras 41 em meio perfil, 42 em frontal e 43 também em meio perfil, o Corpo Mental (camadas amarelas), o Corpo Astral (camadas rosas) e o Duplo Etérico (camada violeta à esquerda, devido à superposição de cores e azul à direita). As camadas mais externas e sutis revestem e interpenetram todas as estruturas das camadas mais densas, dessa forma o corpo mental envolve o corpo astral, o duplo etérico e o corpo físico. O astral é envolvido pelo mental que, por sua vez, envolve o duplo etérico e o corpo físico, como nos evidenciam as imagens 44 e 45, em visão aérea. O duplo etérico é revestido por todos e, por sua vez, envolve e interpenetra o corpo físico.

Os sistemas físicos, os órgãos, tecidos e células estão todos mergulhados e revestidos pelas energias vitais, astrais ou emocionais e mentais. Além do mecanismo de propagação e de recepção detalhado quando descrevemos os microtúbulos, existe um bem mais amplo que é o contato direto de estruturas sutis e densas, contato sincrônico, correlacionado, que nos leva a definir todos os estados físicos de bem estar ou de enfermidade como repercussão e materialização de conteúdos mentais e sentimentais:

"A saúde é assim como a posição de uma residência que denuncia as condições do morador, ou de um instrumento que reproduz em si o zelo ou a desídia das mãos que o manejam". (Emmanuel, Pensamento e Vida, Lição 15).

"Nossas emoções doentias mais profundas, quaisquer que sejam, geram estados enfermiços". (Emmanuel, Pensamento e Vida, Lição 15).

"É das vibrações da mente espiritual que dependem a harmonia ou a desarmonia orgânicas da personalidade e, portanto, a saúde ou a doença do perispírito e do corpo material". (Áureo, Universo e Vida, Cap. V, Item 18).

Voltamos ao tema anterior para oferecer melhores detalhes e percepção do envolvimento e interpenetração dos corpos. Em cortes sagital e horizontal e em visão meio perfil, frontal e aérea, identificamos o corpo mental (camada amarela), o corpo astral (camada rosa), o duplo etérico (camada azul) e o corpo físico. O perispírito, com suas diversas camadas ou corpos, envolve, completamente, o corpo físico, sendo o veículo de interação, transmissão e captação dos reflexos mentais e emocionais do ser que nutre ininterruptamente todos os escarninhos do nosso organismo. As conexões entre a mente, ainda concebida como cérebro, e o sistema imunológico começam a ser detalhadas pela psiconeuroimunologia, sendo que, provavelmente, os neuropeptídeos seriam os intermediários ou mediadores dessa relação que se expressa em regime de mão dupla:

"É assim que, muitas vezes, a tuberculose e o câncer, a lepra e a ulceração aparecem como fenômenos secundários, residindo a causa primária no desequilíbrio dos reflexos da vida interior”. (Emmanuel, Pensamento e Vida, Lição 15).

"A alma é o centro de todos os envoltórios, como o gérmen em um núcleo, já o temos dito". (O Livro dos Espíritos, perg. 141).

Os hormônios, os neuropeptídios, as interações do sistema nervoso, as diversas substâncias mediadoras das múltiplas funções físicas são apenas aspectos secundários, terciários, quaternários de uma hierarquia entrelaçada muito mais ampla, que se inicia nas vibrações do Espírito imortal e pode ser definitivamente resumida na seguinte regra:

"O perispírito serve de intermediário ao Espírito e ao corpo. É o órgão de transmissão de todas as sensações. Relativamente às que vêm do exterior, pode-se dizer que o corpo recebe a impressão; o perispírito a transmite e o Espírito, que é o ser sensível e inteligente, a recebe. Quando o ato é de iniciativa do Espírito, pode-se dizer que o Espírito quer, o perispírito transmite e o corpo executa". (Allan Kardec, Obras Póstumas, item 10 do Cap. Manifestações dos Espíritos).

Download completo do conteúdo