Os centros de força anteriores e posteriores

Voltar
Os centros de força anteriores e posteriores

Além das atribuições fisiológicas, os centros vitais também desempenham funções psíquicas e estão relacionados com certas capacidades de percepções, sendo núcleos importantíssimos em vários processos mediúnicos. Isso porque os chakras formam uma rede complexa de assimilação, armazenamento e emissão de vibrações ou energias mentais ou sutis, e hoje, pelos conceitos da física quântica, não só a energia, mas até a matéria pode ser descrita como informação ou como um grande pensamento. Os centros de força seriam por assim dizer os portais dimensionais por onde fluiriam as correntes mentais que assimilamos e emitimos em regime de reciprocidade ou sintonia durante as diversas manifestações medianímicas:

"Cada espírito humano – microcosmo do Universo – irradia e absorve". (Emmanuel, Roteiro, Lição 37).

"Partindo da mente, que a elabora, essa radiação se difunde por todo o cosmo orgânico, primeiro através do centro coronário, espraiando-se depois pelo córtex cerebral e pelo sistema nervoso, para afinal atingir todas as células do organismo e projetar-se no exterior.

Tal radiação mental, expedida sob a forma de ondas eletromagnéticas, constitui o fluido mentomagnético, que, integrado ao sangue e à linfa, percorre incessantemente todo o organismo psicofísico, concentrando-se nos plexos, ou centros vitais, e se exteriorizando no “halo vital”, ou aura". (Áureo, Universo e Vida, Cap. V, Item 19).

"A bondade e o entendimento para com todos representam o roteiro único para crescermos em aprimoramento dos dons psíquicos de que somos portadores, de modo a assimilarmos as correntes santificantes dos planos superiores, em marcha para a consciência cósmica". (Emmanuel, Roteiro, Lição 36).

Tanto na assimilação como na emissão os nossos fulcros energéticos participam ativamente sendo canais primordiais na cadeia hierárquica, em regime de entrelaçamento, na transmissão das correntes vibratórias que nos nutre psiquicamente. E o nosso aprimoramento amplia o seu poder de permuta e conseqüentemente de captação de informações permitindo-nos enriquecer os dons psíquicos. Um desequilíbrio no sistema de chakras pode assim comprometer não só o organismo físico como os sutis e afetar a captação mediúnica. Uma diminuição no fluxo de energia sutil ou mental pode levar ao comprometimento ou suspensão temporária ou definitiva das faculdades psíquicas, porque captação em ultima análise quer dizer poder de transmitir e traduzir informações:

"Se o instrumento oferece maleabilidade mais avançada, mais intensamente específico aparece o toque do artista". (André Luiz, Mecanismos da Mediunidade, Cap. XVIII, pág. 134)

Maiores detalhes nos próximos artigos. As figuras 61, 62, 63 e 64 voltam ao tema anterior, somente que os corpos, incluindo o físico (com exceção do encéfalo), não foram desenhados, para que o sistema de chakras em sua feição anteriores e posteriores, torne-se evidente.

Download completo do conteúdo